Pular para conteúdo principal »

Site de busca

Você está agora em:

TRANSTORNO DO DESENVOLVIMENTO: Uma Perspectiva Educacional

Mais visualizações

TRANSTORNO DO DESENVOLVIMENTO: Uma Perspectiva Educacional

Enviar para um amigo

Seja o primeiro a avaliar este produto

Disponibilidade: Em estoque.

R$ 30,00
parcelado em até 3x
Adicionar itens ao carrinho
OU

Descrição rápida

ORGANIZADORES:
Laura Monte Serrat Barbosa
Juliana Paula Mendes
Alexandre Vieira Pinheiro
Evelise Hilgemberg

ISBN: 978-85-8298019-4
96 páginas
Peso – 100 grs
Idioma – português
Edição – primeira em setembro 2015

Descrição do produto

O professor precisa ter em mente o que está trabalhando, mesmo que em categorias subdivididas da aprendizagem, sempre com atenção aos detalhes, pensando de forma interdisciplinar, tendo seus objetivos, metodologia e estratégias de intervenção bem definidos e observando a realidade de cada aluno/turma. O próprio desenho, retratado por outros alunos ou pelo professor, serve como referência e estímulo para que o aluno receba essa modalidade como produção, evolução, reconhecimento e inovação. Muitas folhas serão rasgadas, rabiscadas, jogadas no chão, mastigadas (em alguns casos), mas a forma de conduzir esse trabalho com persistência é que dará o novo olhar por parte do aluno. Aos poucos, elogiando essas “produções rabiscos”, podemos inserir significado ao que o aluno traz.
(Alexandre Vieira Pinheiro, p. 63-64)

É muito comum, na área de Educação Física, o uso frequente de termos como desempenho, habilidades, rendimento, superação. Lembro-me que, no meu início na Educação Especial – final dos anos 1980 –, preocupava-me muito com o “desempenho” dos alunos nas atividades. Creio que a vontade de que eles conseguissem realizar o que eu havia proposto era tanta que não atentava para algo muito importante: o prazer como decorrência da aprendizagem. Passado o impacto do “novo”, o primeiro pensamento foi o de como fazer para atingir aquela criança que, ao mesmo tempo em que me olhava, não me via; que, na maioria das vezes, não aceitava o contato físico; que resistia ao aprendizado; que me usava como ferramenta; enfim, que não interagia, por maiores que fossem os estímulos oferecidos. Hoje percebo que o que realmente importa, ao se elaborar objetivos consistentes e pedagogicamente corretos, é que esses objetivos oportunizem, além da aprendizagem, momentos de felicidade ao aluno.
(Evelise Hilgemberg, p. 93)

Tags do produto

Adicionar suas tags:
Use espaços para separar tags. Use aspas simples (') para frases.
 

Comparar produtos

Você não tem itens para comparar.

Newsletter

Newsletter

Meu carrinho

Você não tem itens no seu carrinho de compras.